Ficar em casa é um cuidado fundamental no combate à pandemia pelo novo coronavírus. As mudanças de hábito alteraram a vida das pessoas e também dos animais de estimação, que tiveram a rotina modificada pela suspensão ou redução dos passeios na rua.

Antes de tudo, é preciso esclarecer que, até o momento, não há evidências que animais de estimação ou domésticos possam transmitir a covid-19 para pessoas, apesar de raros relatos de adoecimento de animais de zoológico e de companhia (cães, gatos, furão e hamster, por exemplo) que tiveram contatos com pessoas contaminadas pelo coronavírus.

Animais domésticos, na maioria das vezes, adoecem por um tipo diferente do coronavírus causador da covid-19. Os coronavírus de animais são conhecidos há bastante tempo e ocorrem em espécies específicas, ou seja, o coronavírus de felinos causa adoecimento em gatos, o coronavírus canino causa adoecimento em cães e assim por diante. De qualquer forma, se o seu animal de estimação começar a espirrar, tossir ou apresentar qualquer outro problema de saúde, consulte o médico veterinário.

Transportadores do vírus
Embora não haja evidências de transmissão, os pets podem servir como transportadores do vírus para dentro de casa, assim como sapatos, mãos, roupas, sacolas e bolsas, entre outros objetos. O vírus pode se fixar no corpo, no pelo e nas patas dos animais quando saem de casa e encostam em locais que foram contaminados ou têm contato com pessoas com covid-19.

Se uma pessoa na casa estiver com a doença, deve evitar o contato com animais de estimação, inclusive acariciar, aconchegar, beijar ou ser beijado e lambido e ainda compartilhar alimentos. Estudos mostram que o vírus da covid-19 tem um tempo de sobrevivência alto em contato com superfícies, ou seja, se você estiver infectado e acariciar seu pet e outra pessoa passar a mão nele e depois levar a mão no rosto, essa pessoa pode se infectar.

Se você precisa cuidar do seu animal de estimação ou não tiver como ficar isolado enquanto estiver doente, lave as mãos antes e depois de interagir e use uma máscara facial. Se possível, peça a outra pessoa da família que cuide dos seus animais enquanto se recupera.

Posso passear com meu cachorro?
Muitos animais são ensinados a fazer suas necessidades fisiológicas na rua. Se esse for o caso do seu bichinho, procure lugares menos movimentados e horários mais tranquilos, evite contato com outros animais e pessoas, não toque o rosto e lave bem as mãos com água e sabão ou use álcool em gel assim que retornar para casa.

Durante o passeio, evite que o animal encoste em superfícies (muros, postes) ou role na grama. Ao chegar em casa, higienize muito bem as patas com água e sabão neutro ou produtos veterinários próprios, sem esquecer de higienizar também a coleira e a guia. Não use água sanitária, álcool em gel ou desinfetantes nos pelos e patas dos pets.

Nesse momento de restrição no convívio social, os animais são ótimas companhias. Não há necessidade de isolá-los e ou deixá-los presos. Basta tomar todos os cuidados e passar o período de distanciamento social ao lado do seu bichinho.

Atualizado em 24/03/2021

Depressão e ansiedade na quarentena, sintomas como lidar 2021